Albergues-Hostels

Os 10 hostels mais ‘hipsters’ do mundo

‘Hipster’ e ‘mochileiro’. Isso lá combina um com o outro? Bem, considerando que a primeira é uma das tantas formas que um grupo achou pra se expressar e que dentro do universo mochileiro há inúmeros perfis, achei que as dicas de hostels abaixo podem interessar alguns.
A lista foi feita por um dos mais utilizados sites de reserva de hospedagem em albergues do planeta, o Hostel World. A maioria deles tem entre 80% e 90% de aprovação nas avaliações do site.
Ah, e se você está com um roteiro urbano em mente certamente vai esbarrar com muitos hipsters mundo afora.
– Confesso que não sou entendedora do assunto ‘hipster’, mas se eles buscam estilos de vida alternativos e autenticidade, aí têm pontos em comum com alguns mochileiros.

 1- The Dictionary Shoreditch | Londres, Inglaterra

A cultura hipster está “em casa” na capital inglesa, e o bairro de Shoreditch, no leste londrino, é um de seus exemplos mais expressivos. São incontáveis os pop-up restaurantes, as galerias, os cafés e lojas alternativas, além dos tipos característicos (barbas longas, jeans skinny e tattoos aos montes) desfilando pelas ruas. E bem no centro de tudo, está o hostel The Dictionary, que abraça integralmente a cultura hipster, com seu misto de paredes de madeira aparente e objetos de cor forte, os grafites e quadros com figuras/mensagens excêntricas, e seu bar/cafeteria com todo tipo de bolos e coquetéis.
Preços e detalhes do hostel, aqui.

2- WE Hostel Design | São Paulo, Brasil

Um dos hostels mais bem conceituados de São Paulo e do Brasil (91% de nota no Hostelworld), o WE abusa de ambientes amplos e com decoração vintage, de cores fortes e muitos objetos de design (vitrola, abajur, pufe, até uma lousa no teto!). A mansão do início do século passado fica numa rua tranquila da Vila Mariana (praticamente ao lado do MAC e do Parque do Ibirapuera), mas perto de vários bares da moda. Adicione ao menu várias festinhas cool (karaokê, noite do burger, DJs) e o ambiente está completo.
(A gente já falou sobre o ele no ’10 Design Hostels no Brasil’ – leia também!)
Preços e detalhes do hostel, aqui.

3- The Independente Hostel & Suites | Lisboa, Portugal

O terraço com vista para o Mirador de São Pedro e o Castelo de São Jorge é um dos destaques do The Independente, hostel de luxo em Lisboa, situado em uma uma avenida cheia de restaurantes e pertinho do badalado Bairro Alto. O prédio que um dia foi residência do embaixador suiço na capital lusa, é ornado por pôsteres antigos, louça e mobiliário vintage e um misto de objetos modernos e retrô, que tanto encantam os hipsters. Para completar, um lounge e beer garden para botar o papo em dia, e um restaurante (aberto ao público).
Preços e detalhes do hostel, aqui.

4- Lavender Circus Hostel | Budapeste, Hungria

Todo o Lavender Circus Hostel parece ter saído direto do Instagram, com direito a todos os filtros vintage disponíveis. A decoração é uma mistura de estilos de fazer até o mais exigente dos hipsters entrar em êxtase. O prédio histórico no coração de Budapeste é coberto de mobiliário retrô, objetos de antiquário e detalhes artísticos por toda parte, com direito a uma taça de vinho húngaro de boas-vindas e jantares típicos toda semana.
Preços e detalhes do hostel, aqui.

5- Nui Hostel & Bar Lounge | Tóquio, Japão

O mais hypado dos hostels em Tóquio, é o ponto de encontro dos hipsters locais, graças ao seu bar/lounge super badalado, especialmente à noite. Com ótima localização (perto dos templos de Asakusa e da torre Sky Tree), o Nui Hostel abusa da mistura do rústico e do moderno em seu design (madeira, tubulação aparente, cores fortes) e prima pela limpeza em seus dormitórios (compartilhados ou privativos).
Preços e detalhes do hostel, aqui.

6- KEX Hostel | Reykjavík, Islândia

Na capital islandesa, o KEX Hostel é o representante oficial da cultura hipster. A ver pelo rol de “atrações”: um bar movimentado com preços decentes (e cervejas de torneira!), móveis rústicos, mapas gigantes nas paredes, cozinhas (uma por andar) repletas de temperos e ingredientes diferentes, e uma infinidade de livros na biblioteca comunitária. Assim, como competir com o combo localização megacentral (com vista para o oceano) + interiores com decoração criativa?
Preços e detalhes do hostel, aqui.

7- Generator Venice | Veneza, Itália

A conhecida rede de hostels Generator caprichou na sua filial em Veneza. A decoração é elegante, beirando o chique, mas com um ambiente descontraído e multicultural. Não faltam uns toques modernosos também, como elevadores touchscreen e luzes autocontroladas. Fica na ilha de Giudecca (do outro lado da Piazza San Marco), com ponto do vaporetto bem do lado do hostel. Destaque para o badalado pub instalado no andar térreo, onde há sempre gente nova para conhecer.
Preços e detalhes do hostel, aqui.

8- The Cat´s Pajamas Hostel | Berlim, Alemanha

No espaçoso lounge, toras de madeira fazem a vez dos banquinhos, constrastando com as luminárias futuristas e as cadeiras de balanço de outrora. Nos corredores, desenhos e grafites estampam as paredes dos corredores entre os quartos e banheiros (estes com chão aquecido para encarar o frio do inverno alemão). Assim é a mistura de estilos e a aura hipster que faz do Cat´s Pajamas um hit entre os hostels de Berlim.
Preços e detalhes do hostel, aqui.

9- City Circus Athens | Atenas, Grécia

O prédio neo-clássico do City Circus de Atenas foi todo reformado e esbanja personalidade. O mobiliário retrô, as peças de artistas locais nas paredes e os móveis em madeira (incluindo as camas) criam um clima aconchegante e descolado. Completam o pacote: um terraço com vista para a famosa Acrópole, ar condicionado nos 11 quartos e um café da manhã com cara de hotel. Tudo isso no meio do (muito) boêmio bairro de Psirri, que concentra a mais badalada vida noturna de Atenas.
Preços e detalhes do hostel, aqui.

10- Soul Kitchen | São Petersburgo, Rússia

Frequentemente presente em listas dos melhores do mundo (não à toa que tem quase nota máxima na avaliação dos clientes Hostelworld), o Soul Kitchen é realmente um achado – para hipsters, não hipsters, fãs de hostels ou não. A riqueza está nos detalhes: dos enfeites da mesa do lounge, aos pufes coloridos, ao violão no canto para uso dos hóspedes, aos espelhinhos, à bancada de azulejos na cozinha comunitária, às cortinas quadriculadas que dão privacidade aos beliches nos dormitórios, aos computadores Mac para uso coletivo…
Preços e detalhes do hostel, aqui.

Com informações da Assessoria de Imprensa.
Fotos: Divulgação
A imagem que abre o post é uma intervenção na foto de McKay Savage. [ Backpacker/grunge/hipster vestido com um tradicional gorro peruano e um moderno queima-retina ]

Comentários do Facebook

comentários

2 Comments

2 Comments

  1. Nay Girelli

    23 de dezembro de 2014 at 0:25

    Bem, pelo conceito hipster e os posts, podemos perceber q todo o conceito e ideologia “hipster” foi capturado pelo capitalismo, o que vaid e encontro com o tema do post.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…