Blog

Chapada Diamantina: 4 destinos imperdíveis


A Chapada Diamantina reúne incontáveis opções pra quem quer botar a mochila nas costas e conhecer cenários de rara beleza e rica história. Maior que a Bélgica e no coração do Brasil, dividida em várias serras, como a do Bastião, da Mangabeira, do Rio de Contas, das Almas e a Serra do Sincorá, a região reflete um país desconhecido que vive no dia-dia e no imaginário do povo sertanejo.

Da primeira década do século XIX ao final do século XX, a Chapada viveu da riqueza e prestígio (dos diamantes e do ouro) ao abandono e esquecimento; renascendo enfim no turismo. É sem dúvida, um dos parques nacionais com a maior diversidade em relevo e paisagens do país, unindo cachoeiras em cânions monumentais, ao azul esverdeado de lagos como o da Pratinha, que destoam do chão batido de tom vermelho e empoeirado do sertão, passando por paisagens que lembram o Pantanal, como o Marimbus, até o Vale do Capão com suas noites inigualáveis.

Essa é uma lista aberta, portanto qualquer um pode colaborar acrescentando novos destinos utilizando o formulário no final do post. Se você conhece algum lugar especial  na Chapada Diamantina, inclua ele utilizando nosso formulário fácil no final do post ou deixe a dica nos comentários.

1. Subir o Morro do Pai Inácio

No km 231 da BR-242 está o ponto de partida para a subida ao Morro do Pai Inácio. São cerca de 20 ou 30 minutos sempre acompanhados é claro, de lindas cenas. No alto do morro, vista panorâmica - fonte de fotos de um dos principais cartões-postais do Brasil. Certamente você já viu os Três Irmãos em uma vinheta de comercial na TV ou num cartaz em uma feira de turismo.

Diz a lenda... que um escravo chamado Inácio apaixonou-se pela esposa de um poderoso coronel da região que, ao descobrir o romance, mandou pistoleiros em seu encalço. Sem saída, no topo da montanha, Inácio saltou e... vá ao Morro para conferir, estragaríamos a surpresa!
Uma trilha pouco explorada é a Morro do Pai Inácio – Morrão. São 7km que valem a pena ser percorridos.

by

4 pontos
Upvote Downvote

Total de Votos 8

Votos Positivos: 6

Upvotes percentage: 75.000000%

Votos Negativos: 2

Downvotes percentage: 25.000000%

2. Fazer a Trilha da Cachoeira da Fumaça por cima

Apesar de ser uma das trilhas mais exploradas pelas agências de receptivo da Chapada Diamantina e disso significar as vezes muita gente na trilha, vale muito a pena fazê-la. O inicio é no povoado de Caetê-Açu no município de Palmeiras. A trilha segue pelo alto do Vale do Capão até a queda da Cachoeira da Fumaça. A parte mais "pesada" é a subida inicial de 350m de altura onde é possível visualizar o Morrão de um lado e o Vale do Capão do outro. A trilha segue bem demarcada até o final. Os únicos obstáculos naturais são pequenos riachos. A vegetação é uma mistura de cerrado e campos rupestres. Média do Percurso: 12 KM ida e volta Tempo Médio do percurso: De 4 a 6 horas ida e volta

by

2 pontos
Upvote Downvote

Total de Votos 4

Votos Positivos: 3

Upvotes percentage: 75.000000%

Votos Negativos: 1

Downvotes percentage: 25.000000%

3. Visitar a Gruta Azul – Pratinha

Fica 7Km depois da Lapa Doce. A Pratinha é um verdadeiro oásis no sertão baiano.
A água cristalina, inúmeros peixes e os micro-búzios fascinam. No local é praticada a Tirolesa, num nível bastante “light”, bem como o mergulho.
A caverna da Gruta Azul tem aproximadamente 120m, com profundidade de 1,5m a 2,5m. Faz parte da cidade de Iraquara, a 76Km de Lençóis. Está em propriedade particular.
Na Gruta Azul, ainda no complexo da Pratinha, a luz refletida no espelho d´água é cenário de intensa beleza. É permitido o mergulho no local.

by

1 ponto
Upvote Downvote

Total de Votos 3

Votos Positivos: 2

Upvotes percentage: 66.666667%

Votos Negativos: 1

Downvotes percentage: 33.333333%

4. Cachoeira da Fumacinha

Na cidade de Ibicoara fica a trilha para a cachoeira da Fumacinha.É preciso sair as 6hs da manhã do hotel para fazer este passeio e a volta é no final da tarde. Reserve o outro dia inteiro ou pelo menos a manhã para descansar porque você fica sem pernas. A trilha tem 9km de extensão, então no total são 18km ida e volta entre pedras,travessia de rios e mata fechada. Leve água e lanche. Por questão de sobrevivência é imprescindível ir com um guia nativo que nos cobrou R$200,00 (2 pessoas).Se você se aventurar a fazer isso sem guia com certeza terá grandes problemas.Com certeza foi a trilha mais difícil da minha vida, na volta os joelhos estavam doendo,topamos com cobra na mata duas vezes mas no fim tudo deu certo. A vista é de tirar o fôlego, valeu a pena todo esforço! ESSA TRILHA É SÓ PARA MALUCOS!QUASE NINGUEM FAZ! Foi o que o nosso guia nativo nos falou...pois é, quando terminamos a trilha entendemos o porque ele nos disse isso. VÁ, VALE MUITO A PENA!

by

1 ponto
Upvote Downvote

Total de Votos 3

Votos Positivos: 2

Upvotes percentage: 66.666667%

Votos Negativos: 1

Downvotes percentage: 33.333333%

Votar

2 pontos
Upvote Downvote

Total de Votos 4

Votos Positivos: 3

Upvotes percentage: 75.000000%

Votos Negativos: 1

Downvotes percentage: 25.000000%

Adicionar seu post

Adicionar Imagem Conteúdo Embed

This field is required

Solte os arquivos aqui

ou

Cancelar

O tamanho máximo do arquivo de upload: 8 MB.

Processando, Aguarde um instante...

This field is required

por exemplo: https://www.youtube.com/watch?v=WwoKkq685Hk

Processando, Aguarde um instante...

Este post foi criado com o nosso formulário super fácil e rápido! Envie seu post!


Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…

Pular para a barra de ferramentas