Blog

Dá pra viajar muito com pouca grana? Gente, dá tudo isso e muito mais.


por Marcela Strabelli

Dá pra viajar muito com pouca grana? Dá pra conhecer vários lugares com pouca grana? Dá pra ser feliz? Dá pra não passar fome?  Gente, dá tudo isso e muito mais.

Em Maio se 2015 conheci um cara aqui no grupo, nos tornamos amigos (somente amigos, mesmo) e resolvemos fazer um rolê alternativo com pouca grana, esticando dedão na estrada. Como? Nem a gente sabia…..Ele se preparou de lá (ele é do Rio) eu me preparei de cá, lí trocentos relatos, artigos, dicas, comprei o que precisava (mochila, barraca, fogareiro, isolante, etc), vendi metade das minhas roupas, doei o restante, separei algumas (algumas poucas mesmo), fiz caber tudo em uma mochila, nos encontramos na minha cidade ( moro em Pompeia, interior de SP) e juntos saímos pedindo carona.

Resultado: 4 meses de viagem. Conhecemos o sul do Brasil, grande parte do litoral Uruguaio e parte da Argentina. (Sim gente, tudo de carona) Juntos gastamos menos de 3 mil, viajando por 4 meses.  

Claro, o role foi roots , mega roots. Só fomos….. com a cara e coragem e a vontade de desbravar esse mundão e deu tudo muito certo.

A gente saiu da minha casa a pé, e as caronas, a gente arranjava na beira da estrada, foi assim no Brasil, no Uruguai e na Argentina.
As hospedagens, algumas conseguíamos através do “couchsurfing”, ou dormíamos na casa de pessoas que a gente conhecia pela estrada, ou armava a barraca em qualquer canto meio “mocozado”, posto de gasolina, e por aí ia….
Banho a gente se virava, ás vezes era de chuveiro, ás vezes de caneca, ás vezes de rio, as vezes de torneira e a vezes não tinha e a gente era feliz do mesmo jeito (e com muito desodorante)


Pra comer a gente ia improvisando, tínhamos sempre itens básicos na mochila, um fogareiro e um gás. A gente cozinhava, até que uma hora o gás acabou no Uruguai e era absurdamente caro e aí ferrou, fizemos fogo com latinha e óleo (como vocês podem ver na foto) e assim fomos seguindo, catando latas da rua, enxergando aquilo como uma salvação pra nossa comida (puta experiência de vida e valorização) a gente comia macarrão, muito macarrão com massa de tomate e legumes!

Não tinhamos destino, nem planos, nem nada definido…. Íamos seguindo o trecho, seguindo sugestões, intuiçao…. E a gente ia galera….

Foram 3 países, incluindo o Brasil, dezenas de cidades, centenas de pessoas e a conclusão que eu tirei de tudo isso :
SIM, AINDA EXISTEM PESSOAS BOAS. AINDA EXISTEM PESSOAS DISPOSTAS A AJUDAR, A CEDER A AMPARAR. AINDA EXISTE AMOR EM SP E EM TODO LUGAR DO MUNDO….
Então a minha dica é : Nunca deixem de SONHAR, ACREDITAR e CAMINHAR….

 

Ps: Pegamos a estrada em Maio de 2015, retornamos em Setembro de 2015, eu iria retomar a viagem sozinha em Dezembro de 2015, mas quando voltei pro Brasil acabei engravidando (o pai não é o amigo, o amigo era apenas amigo) e hoje sou uma mochileira “por hora recatada” , mãe do Gael de 6 meses e doida pra esperar meu filhote crescer um pouquinho mais pra fazermos altas aventuras juntos! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Postado originalmente em: https://www.facebook.com/groups/mochileiroscom/permalink/10153939439367260/

Votar

0 ponto

Total de Votos 0

Votos Positivos: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Votos Negativos: 0

Downvotes percentage: 0.000000%


Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…