Blog

34 destinos imperdíveis e pouco conhecidos do Brasil


Paisagens brasileiras sensacionais que ainda são extremamente pouco divulgadas. Cachoeiras, praias, piscinas naturais e dunas pouco conhecidas e visitadas pelos viajantes brasileiros. Alguns com boa infra estrutura turística, outros nem tanto, mas esta é uma comunidade de desbravadores… certo?

Essa é uma lista aberta, portanto qualquer um pode colaborar acrescentando novos destinos utilizando o formulário no final do post. Só vale postar destinos desconhecidos do grande público. Se você conhece algum lugar especial, pouco visitado, inclua ele utilizando nosso formulário fácil no final do post ou deixe a dica nos comentários.

1. Parque Estadual Cachoeira da Fumaça – Espírito Santo

Foto: Victor Domingues / Flickr: Victor Domingues

O Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça está localizado no Município de Alegre, distante aproximadamente 33 Km da sede municipal e 228 Km da capital do Espírito Santo. O acesso se dá por estrada pavimentada com calçamento de paralelepípedo, em perfeitas condições de tráfego de veículos de pequeno porte.

O parque é formado por quatro trilhas, com níveis diferentes de dificuldade. As visitas podem ser feitas com o auxílio de guias, que são moradores da região habilitados para oferecer informações. Até chegar a cachoeira, são 800 metros a pé pela Mata Atlântica preservada.

O Parque é aberto à visitação diariamente das 8h às 17h e possui estrutura de banheiros, estacionamento, trilhas sinalizadas e áreas de lazer

by

2. Lagoa da Lua- Primavera do Leste – Mato Grosso

Foto: Caroline Brito / Instagram: @carolinebrittoo

A Lagoa da lua localiza-se em uma propriedade privada e fica a 34 Km do centro de Primavera do Leste.  O mergulho autônomo é feito com cilindro de ar comprimido que oferece ao participante a possibilidade de ficar submerso por um longo período com acompanhamento integral de um mergulhador profissional experiente.  Com aproximadamente 8 metros de profundidade e visibilidade de 40/50 metros de distância, a Lagoa em si é o principal atrativo do mergulho, pois possui uma vegetação aquática submersa composta por raízes, algas e caules além de algumas espécies de peixes que ao contraste com a luz solar proporcionam ao participante um cenário fantástico debaixo d’água..

Mais informações: adrenalinamt.com.br/tour/mergulho-com-cilindro/

by

3. Chapada das Mesas – Maranhão

Foto: Ana Cris / Instagram: @anacris2011

O Parque Nacional da Chapada das Mesas é uma área de proteção ambiental que abrange 160 046 hectares de Cerrado nos municípios de Carolina, Riachão , Estreito e Imperatriz, no centro-sul do Maranhão. A região oferece cachoeiras, trilhas ecológicas e rios de águas cristalinas. O artesanato, de origem indígena, criado pelos moradores da região, é um dos grandes aspectos da cultural local.   Alguns atrativos na área de entorno são as cachoeiras Pedra Caída (de 50 metros de altura), São Romão, Tapecurizinho, Encanto Azul, Cachoeira de Santa Bárbara e Portal da Chapada.

No interior do Parque existem dois atrativos que são explorados turisticamente há muitos anos (Cachoeira de São Romão e Cachoeira da Prata) e que recebem especial atenção da equipe de gestão visando a minimização dos impactos gerados. No Morro das Figuras está localizado um sítio arqueológico com inscrições rupestres.

Quem foi? -  No Mochileiros.com você pode conferir alguns relatos clicando aqui, aqui e aqui.
Mais informações: www.carolina.ma.gov.br

by

5. Serra do Tepequém – Roraima

Foto: Ingrid Kelly /Blog:  As altas aventuras em Roraima

A serra do Tepequém está a 210Km de Boa Vista em Roraima, localizada no município de Amajari.  O Tepequém é visto como ponto de alto potencial turístico. Os atrativos turísticos da região são: Cachoeiras do Paiva, Barata, Sobral, Funil, Laje Preta e Laje Verde (descoberta recentemente), Platô (ponto mais alto do Tepequém), Paraíso das Araras, Enseada da Anta (uma área conservada onde pode-se observar facilmente vários animais, aves e insetos), caminho da Pedra Sabão (local que os moradores retiram a pedra sabão para a criação de peças artesanais), a vila do Cabo Sobral (um ponto alto do turismo, onde são encontradas casas antigas e resquícios do garimpo que foi praticado no Tepequém) e as grunas ou grutas subterrâneas.

Quem foi? - O viajante Jay Junior e ooutros viajantes postaram algumas informações nesse tópico aqui no Mochileiros.com.
Mais informações: www.turismo.rr.gov.br

by

6. Chapada da Serra Vermelha – Piauí

Foto: Claudia Regina

A Serra Vermelha é um imenso chapadão no Sul do Piauí com 4.900 Km² e abriga as nascentes dos rios Piauí e Itaueira. Seria transformada em Parque Nacional em 2007, porém só ficou no papel e no momento seu futuro está nas mãos da justiça que decidirá se é uma área de Mata Atlântica ou Caatinga. Sua classificação é discutida por pesquisadores, conservacionistas, uma empresa privada (a JB Carbon SA.), o governo do Estado do Piauí, o Ministério Público Federal, dentre outros, e o motivo de tamanha discórdia para o enquadramento do bioma em determinada categoria, são as consequências que isso ocasionará. Se for enquadrada como caatinga, haverá maior facilidade de explorar a área para a produção de carvão, o que não ocorrerá se for enquadrada como mata atlântica, que está legalmente protegida pela constituição, e a exploração da mesma ficará completamente inviabilizada.

by

7. Lagoa Azul em São Desidério – Bahia

Foto: Haydée Lins / Instagram: @haydeelins

Formada por um rio subterrâneo, a Lagoa Azul fica em uma área de proteção ambiental do Parque Municipal da Lagoa Azul. É um dos mais belos pontos turísticos de São Desidério. Cercada por paredões rochosos, a água majestosamente calma pode chegar a cerca de 40 metros de profundidade. O silêncio e a natureza intocada tornam o cenário único, de beleza indescritível e um convite à contemplação. O acesso ao local exige acompanhamento de guia turístico.

by

8. Lagoa Azul – Povoado de Baixio – Bahia

Foto: Ana Carolina Tavares - Instagram: @aninha_pt

Com dunas de areia branca nas margens é a mais conhecida lagoa do Povoado de Baixio, no município de Esplanada na Bahia. Nela, só podem entrar 120 pessoas por dia, divididas em grupos. O trajeto até lá tem 1,5 quilômetro e costuma ser percorrido em 30 minutos. É possível fazer o passeio de carro. Mas só dá para encarar naqueles com tração nas quatros rodas. Caso resolva ir por conta própria, o veículo só chega até os portões da propriedade. O resto do caminho deve ser feito a pé. Para pedestres, o acesso à trilha custa R$ 10. O passeio de veículos 4x4 com duração de duas horas custa R$ 40 por pessoa. A visitação rola das 8h às 18h. É indicado levar bebida e comida, pois não há barraca no local. Não esqueça, é claro, de deixar a área limpa antes de ir embora. A preservação ambiental é levada a sério na região que conta com mais atrações como a Lagoa da Panela, Lagoa do Mamucabo, Lagoa Verde e a Barra do Inhambupe.

by

9. Monumento Natural dos Pontões Capixabas – Espírito Santo

Foto: ICMBio

O monumento Natural dos Pontões Capixabas está em uma área de aproximadamente 17.496 hectares , abrangendo três áreas distintas, localizadas nos municípios de Pancas e Águia Branca, estado do Espírito Santo. A região dos Pontões Capixabas, como são chamadas as formações rochosas com mais de 500 metros de altura, já foram consideradas o lugar mais bonito do mundo pelo paisagista Burle Max. A principal cidade de apoio para a visitação do parque é Pancas, o último refúgio de habitantes e descendentes de um país europeu que não existe mais, a Pomerânia, que foi anexada a Alemanha e Polônia depois da 2ª Guerra mundial. A região está se transformando em um point de Montanhistas e praticantes do Vôo livre e com sua beleza não poderia passar batido na lista de destinos de nenhum mochileiro que se preze.

Quem foi? -  No Mochileros.com há alguns relatos de alguns poucos viajantes que estiveram em Pancas e o Parque Nacional dos Pontões Capixabas que você pode conferir aqui, aqui, aqui e aqui.
Mais informações: www.pancas.es.gov.br

by

10. Analândia – São Paulo

Foto: Dalton Holland Baptista /  Wikimedia Commons

Analândia é um dos 12 municípios paulistas considerados estâncias climáticas pelo Estado de São Paulo. A cidade conta com formações geológicas e geográficas como morros, chapadas e paredões com mais de 220 metros de altura, além de diversas cachoeiras, riachos e piscinas naturais. A Estância Climática se destaca por suas ofertas turísticas, povo hospitaleiro, jeitinho do campo, comida caipira e caseira, festas tradicionais, artesanatos, hospedagens aconchegantes, operadoras de turismo, calçadão coberto tudo isso com o sossego de uma cidadezinha do interior com 4800 habitantes.

Quem foi? - O viajante Filipe Salese passou por lá e fez várias fotos, vídeos e um belo relato no Mochileiros.com que você pode acessar clicando aqui.
Mais informações: www.analandia.sp.gov.br

by

11. Parque Nacional do Catimbau – PE

Foto: Guilherme Jófili / Flickr: guilherme jofili

O Parque Nacional da Serra do Catimbau, antigo Vale do Catimbau é uma área com 62.300 hectares entre o Agreste e o Sertão pernambucano. É formado por montanhas de topo suave, acredita-se que o nome Catimbau provenha de "morro que perdeu a ponta". Entre as montanhas encontram-se encostas abruptas e vales abertos. É uma região de intensa erosão. As formações geológicas são compostas de arenitos de diversas cores e tipos que datam de mais de 100 milhões de anos. Apresenta cerca de duas mil cavernas e 28 cavernas-cemitério. A unidade apresenta registros de pinturas rupestres e artefatos da ocupação pré-histórica datados de pelo menos 6 000 anos.

Quem foi? - No Mochileiros.com há alguns relatos que você pode acessar clicando aqui, aqui e aqui.

by

12. Mambaí – Goiás

Poço Azul - Foto: Lucas Citolin / Instagram: @lcitolin

"A pouco mais de 300 km de Brasília, a cidade de Mambaí abriga belas cachoeiras e cavernas ainda pouco conhecidas, além de opções de esportes radicais como tirolesa e rapel. A maior parte dos passeios só pode ser feita com acompanhamento de guia através de agência de turismo local.
A cidade é de pequeno porte, porém nos últimos anos vem passando por um vertiginoso crescimento. Possui algumas opções de restaurantes econômicos e lanchonetes simples.

Hospedagem
Na cidade há duas opções de pousadas - Maredu e Cerrado - e três hotéis - Maris, APM e Savana. Os hotéis estavam custando de R$85 a R$100 no período

Ficamos na pousada Maredu por R$70 a diária pro casal. A pousada fica perto do ginásio e é bem simples, com TV, wi-fi fraca e um café da manhã com uma ou duas opções de frutas, suco, café, pão e biscoito de queijo e bolo.

Estrada (distâncias e condição)
De Brasília, pegue a saída norte e siga pela BR-020 até o trevo com indicação de Mambaí a aproximadamente 260 km de Brasília. Do trevo até Mambaí são pouco mais de 50 km. A estrada quase toda está muito boa. Há apenas alguns pequenos trechos com buracos."

Quem foi? :  O Anderson Paz foi contou como foi pra gente aqui

by

13. Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange – Paraná

Foto: Rubens Matsushita / Flickr: Rubens Matsushita

O relevo da Serra da Prata, os inúmeros riachos e a rica vegetação da Mata Atlântica presentes no Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange criam belos cenários naturais que atraem pessoas de diversas partes do país. Trilhas com diferentes níveis de dificuldade conduzem o visitante por variados ambientes, dando oportunidade para observação de aves e levando a cachoeiras ou ao cume da Serra da Prata, conhecido como Torre da Prata.

As principais atividades que podem ser realizadas são: caminhadas em trilhas, observação de aves, banhos em riachos e cachoeiras e contemplação da natureza.

Principais atrativos: CabaraquaraCachoeiras da QuintilhaCachoeira do rio das PombasMorro do Escalvado ou Morro da CruzSalto do TigreSalto Parati e Trilha da Torre da Prata

 

by

14. Ilha da Trindade – Espírito Santo

Foto: Simone Marinho / Wikimedia Commons

A Ilha de Trindade fica a 1.167 km de Vitória (ES) e a 2.400 km da África e pertence ao arquipélago "Trindade e Martim Vaz" que é constituído por duas ilhas (Trindade e Martim Vaz), separadas por 48 quilômetros. Juntas somam uma área total de 10,4 km².  É um destino pra poucos e que só pode ser visitado com permissão da Marinha, além de ser extremamente difícil ancorar em sua costa, pois é considerada pelos navegadores, como um imenso paredão no meio do Atlântico.  Conheça (aqui) o programa de Pesquisas Científicas da Ilha de Trindade.

Quem foi? - Uma reportagem da Folha de São Paulo esteve por lá e fez fotos espetaculares que você pode conferir aqui.

by

18. Salto do Yucumã – Rio Grande do Sul

Foto: Fernanda Larini / Instagram: @chapinhanamala

No extremo noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, fazendo divisa com a Argentina (e dividindo com o vizinho a beleza, assim como o faz com Foz do Iguaçu) está o maior salto longitudinal do planeta. São 1800m de extensão por onde deitam as águas do Rio Uruguai. E é na época de seca que o Salto revela todo seu esplendor. Porém uma barragem está colocando este destino em perigo de desaparecer.

Quem foi? Nós fomos e contamos tudo pra você aqui

by

19. Parque Nacional da Serra das Confusões – Piauí

Foto: Eraldo Peres

O parque nacional da Serra das Confusões está localizado na região sudoeste do estado do Piauí e possui inúmeros sítios arqueológicos . Entre os atrativos estão as grutas, cavernas e formações rochosas. Apenas o Desfiladeiro das Andorinhas e a Gruta do Riacho dos Bois podem ser visitados em carro convencional ou a pé. As demais atrações (como Moquém e Chapada dos Gerais) requer a utilização de carro com tração nas quatro rodas. Para conhecer os atrativos do parque, é necessário estar acompanhado de um condutor credenciado pela Associação de Condutores do Parque Nacional da Serra das Confusões.

Quem foi?: O Luis Arau foi e contou pra gente como foi nesse relato

by

20. Laranjal do Jarí / Cachoeira de Santo Antônio – Amapá

Cachoeira de Santo Antônio - Foto: Cíntia Oliveira / Amapá EcoCamping

A região da cidade Laranjal do Jari no Amapá é repleta de belíssimas cachoeiras com destaque para a Cachoeira de Santo Antônio (essa da foto abaixo). A cidade está localizada a 270 Km de Macapá, Amapá e é uma região belíssima, ainda muito pouquíssimo explorada pelos viajantes brazucas.

Quem foi? -  No blog do viajante Gabriel Penha há um post com algumas fotos e informações que você pode acessar aqui e outro relato do Blog do viajante Raoni Santos que também viajou pela região e postou suas impressões neste post aqui.

by

21. Parque Estadual de Terra Ronca – Goiás

Caverna no Parque Estadual de Terra Ronca – Foto: Marcelo Ísola

"O Parque Estadual de Terra Ronca em São Domingos no estado de Goiás é um dos maiores complexos espeleológicos do mundo. São mais de 60 cavernas “molhadas” atravessadas por rios, e 200 “cavernas secas”, sete delas constam da lista das trinta maiores cavernas do Brasil. A Angélica, com 14.100 metros de extensão é a 4ª colocada do país. São várias cavernas esculpidas por rios, com formações moldadas durante milhões de anos, desde que a região era banhada pelo mar, no período Pré-Cambriano superior. É uma região de cerrado, com fauna e flora das mais ricas do país, tem centenas de cachoeiras e rios interessantes. Vale a pena conhecer!" -  Dica do viajante Leovigildo Santos

Quem foi? - Há alguns relatos no Mochileiros.com que você pode conferir aqui, aqui, aqui e aqui.
Mais informações: www.semarh.goias.gov.br/site/conteudo/parque-estadual-de-terra-ronca-peter

by

22. Cânion do Rio Poty – Piauí /Ceará

Foto: Juscel Reis / Overmundo

O Cânion do Rio Poty é um fenômeno criado pela passagem do Rio Poti por uma fenda geológica situada na Serra da Ibiapaba entre o Piauí e o Ceará que estende por quatro municípios: Crateús, no Ceará, Castelo, Buriti dos Montes e Juazeiro, no Piauí . O aceso é feito através de duas estradas vicinais, uma pela cidade de Juazeiro do Piauí e outra pela cidade de Castelo do Piauí, nos períodos chuvoso o acesso fica inviabilizado pelas cheias do Rio Poty. Embora seja conhecido e divulgado através da imprensa local e estadual ainda é pouco visitado, mas sua beleza já atrai viajantes e aventureiros de várias partes do país e também do exterior.

Algumas rochas possuem inscrições rupestres muito antigas, porém diferentes das encontradas no parque de Sete Cidades e no Sítio Arqueológico da Serra da Capivara, pois estas foram esculpidas em baixo-relevo nas pedras das encostas. Toda esta preciosidade encontra-se ainda semi-desconhecida, sendo visitada apenas por pescadores e ecologistas que enfrentam as rústicas trilhas de difícil acesso.

Dica do viajante Vinicius Carvalho

Quem Foi? - A Galera do Blog Alta Aventura passou por lá e conta nesse post aqui como foi a viagem. A Globo também fez uma boa reportagem que você pode assistir aqui.

by

23. Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque – Amapá

Foto:Luciano Candisani / WWF Brasil

O Tumucumaque é o maior Parque Nacional do Brasil e uma das maiores áreas de floresta tropical protegidas do mundo. Está localizado numa porção da floresta amazônica ainda pouco conhecida, na região conhecida como Escudo das Guianas, ao noroeste do Amapá. Para quem optar sobrevoar o parque, é possível avistar um extenso tapete verde de copas de árvores e os desenhos dos rios Araguari, Oiapoque, Amapari e Jarí. Serra do Navio é um município com cerca de cinco mil habitantes e é uma das portas de entrada do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, por meio do rio Amapari. 72% de sua área está dentro da unidade de conservação.

Quem foi?Hiltonmc foi e conta pra gente aqui

by

24. Prudentópolis – Paraná

Foto: Guaraci Monteiro / Instagram: @monteiroguaraci

Prudentópolis no Paraná possui mais de 100 cachoeiras catalogadas e muitas delas com mais de cem metros de altura e é na cidade que nasce o maior rio em extensão do Paraná, o rio Ivaí; ele nasce no encontro do rio dos Patos com o rio São João. A colonização ucraniana proporciona a Prudentópolis diversas atividades festivas típicas da cultura ucraniana, com destaque ao Grupo Folclórico Vesselka e a Noite Ucraniana. O município também se destaca pela produção de um dos mais famosos salames, conhecido como "Krakóvia" que tem um sabor inigualável.

Quem foi? - No Mochileiros.com há vários tópicos sobre a cidade que você pode ver aqui, aqui, aqui e aqui.

by

25. Sengés / Vale do Jaguaricatú – Paraná

Cânion do Jaguaricatú - Foto: Rubens Rosa / Panoramio

O Vale do Jaguaricatú está localizado na cidade Sengés no Paraná em uma região de Cerrado e Mata Atlântica e oferece aos viajantes paisagens únicas como a do Canyon Jaguaricatú (o da foto abaixo), grutas com inscrições rupestres, falésias e uma rica vegetação, além de várias cachoeiras e o mirante do Corisco, onde se pode vislumbrar a cachoeira formada pelo Rio Capivari.
Quem foi? - No Mochileiros.com há relatos de alguns viajante que já passaram por lá. Confira nestes tópicos aquiaqui, aqui e aqui.
Mais informaçõeswww.facebook.com/sengesturismo

by

26. Cascata da Pedra Grande – Carrascal – RS

Cascata da Pedra Grande - Foto: Ragi Shant / Flickr: ragi shant 

Localizado na fronteira entre os municípios de Marau e Camargo, próximos a Passo Fundo no Rio Grande do Sul. O espaço fica em uma fazenda e oferece área de camping em meio a mata nativa na beira do rio com bosques arborizados e piscinas naturais.  O camping conta com estacionamento, iluminação, espaços de churrasqueiras cobertos, banheiros, bar e fica ao lado da Cascata da Pedra Grande (também conhecida como cascata do Carrascal)

Como Chegar:

Saindo de Porto Alegre existem duas rotas até Camargo:

1-  Rota BR-386 passando por Lageado, Arroio do Meio, Encantado, Guaporé, Serafina Corrêa, Casca, Vila Maria e Camargo.
(caminho com mais curvas e menos pedágios)

2- Rota RS-324 passando por São Leopoldo, Portão, São Sebastião do Caí, Bom Príncípio, Bento Gonçalves, Veranópolis, Nova Prata, Nova Bassano, Casca, Vila Maria e Camargo. (caminho com mais retas e mais pedágios)

Para chegar ao camping você passará pelo município de Camargo. A cidade se concentra em uma pracinha principal, onde você encontra: padarias, posto de combustível, mercadinhos, farmácia,…
Seguindo pela avenida principal até o fim você encontra uma estrada de chão batido. Siga pela direita, conforme a placa indicando "Carrascal", siga 11km até a Cascata do carrascal também conhecida como Cascata da Pedra Grande ou Cascata do Perusso.

Saindo de Caxias do Sul (182Km de distância):
Saida pela  RS-453, siga pela RS-470 e RS-324: seguindo para Bento Gonçalves, Veranópolis, Nova Prata, Nova Bassano, Casca, Vila Maria e Camargo.

Saindo de São Paulo:
Existe ônibus de São Paulo pra Passo Fundo, com saídas diárias as 19:30 da rodoviária de São Paulo e chegada em Passo Fundo (por Erechim) as 09:30hs do dia seguinte.

Para mais informações visite: http://www.cascatadapedragrande.com.br

by

27. Estrada Parque de Piraputanga – MS

Estrada Parque de Piraputanga - Foto: Atupark

A Estrada Parque de Piraputanga, formada por afluentes do Rio Aquidauana e com uma fauna exuberante, é considerada uma das mais bonitas do sudoeste sulmatogrossense. Está localizada a pouco mais de 90 quilômetros da Capital de Campo Grande e abrange os municípios de Aquidauana e Dois Irmãos do Buriti. No seu trajeto, se percorre os distritos de Palmeiras, Piraputanga e Camisão.

O local cercado de lendas é considerado um lugar mágico. A beleza cênica da região, emoldurada pelos paredões de arenito da Serra de Maracaju e pelo Rio Aquidauana – cujo rio o Visconde de Taunay declarou seu encantamento por suas águas –, atrai visitantes amantes da natureza, da pesca e do turismo de contemplação.

Mais informações no site: http://atupark.com.br/

by

29. Ponta do Mel e Dunas do Rosado – RN

Foto: Delson Cursino - Flickr: Delson Cursino  (mais fotos)

Ponta do Mel é um vilarejo e uma praia localizado no município brasileiro de Areia Branca no estado do Rio Grande do Norte. É o único lugar do sertão em que este encontra-se com o mar.

O jornal Folha de S. Paulo definiu o lugar como um "vilarejo perdido no tempo, rodeado por falésias coloridas, dunas claras e rosadas, voltadas para o mar potiguar. Sem falar na sua gente simpática e receptiva, cheia de histórias para contar".

Você encontra mais informações sobre a região aqui

by

31. Cânion Fortaleza – Cambará do Sul /RS

Cânion Fortaleza no município de Cambará do Sul, estado do Rio Grande do Sul. Trilha de nível leve, onde o visitante vai contornando a borda do Cânion. E um mirante, é possível ver a praia de Torres e a Lagoa dos Patos, mais lagoa do estado do Rio Grande. Na região existem dezenas de Cânions e cachoeiras, a cidade é simples e hospitaleira. Ótima opção no inverno, já que por muitas vezes a temperatura fica negativa e a chance de neve é grande.

by

34. Parque Nacional de Ubajara – Ceará

O Parque Nacional de Ubajara está localizado na região da Serra da Ibiapaba, no estado do Ceará. A grande atração do parque é a Gruta de Ubajara, a qual está situada em uma depressão de 535 metros de profundidade. O acesso à Gruta pode ser feito pela trilha principal, íngreme, com uma extensão de 7 km e percurso de 4 horas ou por meio de um teleférico, com um percurso de 550 metros e duração de 3 minutos. O parque possui três trilhas: Ibiapaba, Samambaia e Araticum.

Na trilha o visitante se depara com toda a riqueza da flora do parque, como riachos e cachoeiras, sobretudo a Cachoeira do Cafundó e Rio das Minas. É possível ter, ainda, uma visão panorâmica do Parque por meio do Mirante, que está localizado às margens do Riacho Gameleira e na borda da Chapada. O passeio à Gruta e trilhas é realizado com o acompanhamento de guias da ICMBio.

by

Adicionar nova imagem

This field is required

Solte os arquivos aqui

ou

Cancelar

O tamanho máximo do arquivo de upload: 8 MB.

Processando, Aguarde um instante...

Este post foi criado com o nosso formulário super fácil e rápido! Envie seu post!


Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…