Dicas e Curiosidades

Planejando o orçamento

Money-Pig-icon

Quanto vou gastar para uma viagem “estilo mochileiro”? Esta pergunta é feita com certa frequência. Pelos iniciantes ela é feita assim. Pelos mais experientes a coisa muda para algo do tipo: “Quanto vou gastar desta vez no meu mochilão por X, Y, Z passando por A, B e C, em tal período e por H dias”? Ou, tenho X reais, o que dá pra fazer com isso?

Pareceu complicado?!  É só uma tentativa de exemplificar que, para saber o quanto gastará em uma viagem você tem que levar em conta basicamente para qual(is) lugar(es)  vai, qual será sua rota (roteiro) e durante quantos dias.
Ainda assim, esta é quase a “pergunta fundamental” (sobre a vida o universo e tudo o mais) do Guia do Mochileiros das Galáxias, só que estamos longe de encontrar uma resposta exata como a do genial Douglas Adams – sim, porque cada viajante é cada viajante, com suas próprias experiências, gostos, desejos e bolsos.
Se sua intenção é economizar, é importantíssimo que você não tenha preguiça de pesquisar! Leia experiências de outros viajantes em sites relacionados, leia guias web, vasculhe sites de companhias aéreas em busca de promoções, fique “antenado” ao que está rolando no destino para evitar uma altíssima temporada etc. Tudo faz parte do planejamento, o que para muitos já é o início da viagem!

Como suamos para conseguir nosso dinheirinho, é sensato que analisemos: “tenho X reais, o que dá pra fazer com isso?”. Então… listinha em punho! Você precisará no mínimo:
1- Transportar-se até o local (local definitivo/final ou uma base)
2- Dormir
3- Comer
4- Locomover-se no local
5- Pagar entrada em alguns locais (parques, trilhas, museus) e fazer alguns passeios pagos (à um local onde só se chega de barco por exemplo)
6- De um momento “bon vivant” (sim, para aquela extravaganciazinha na viagem)
7- Voltar pra casa (é uma pena… mas é a realidade)
Tenha reservado também algum valor para imprevistos.

Com essa lista levante quanto custarão suas diárias (em hotel, hostel, pousada, camping etc); quanto custa uma refeição básica em determinada localidade (relatos e guia de viagens costumam ter referência); quanto custa por exemplo, o metrô por aquelas bandas (relatos e guias também podem ser boa fonte falando sobre o custo-benefício de andar de taxi, van, trem etc); quanto custam os principais passeios que quer fazer… Some tudo. É o que você provavelmente gastará por dia.
A entrada naquele Parque Nacional incrível, aquele passeio de barco imperdível e a balada “extravagante” serão somados à conta dependendo do seu estilo (vai badalar todos os fins de semana, todas as noites? Vai pegar trilha paga todos os dias? E assim por diante).
Se a soma resultou em R$ 200 por dia e ontem você gastou R$ 250, amanhã terá que gastar menos e se policiar (essa história de lavar pratos para pagar a conta é lenda quando o protagonista é você).
Considere os itens 1 e 7 (passagem aérea ou de ônibus) fora do orçamento, pois estes já devem estar pagos (dependendo do seu destino – alguns países exigem que se apresente a passagem de volta) ou já guardado (o valor da passagem de volta).

A tal listinha feita por você é um norteamento para suas finanças durante a viagem e obviamente não é necessário estar preso a ela. O melhor de viajar “estilo mochileiro” é a liberdade. Você pode gostar tanto de determinado lugar, abandonar o roteiro pré-estabelecido e gastar tudo por ali mesmo – risos. Gastar é muito fácil!

Um site interessante para ajudar no cálculo de gastos durante a viagem é o www.priceoftravel.com, dica da viajante Samantha Vasques, membro da comunidade Mochileiros.com. “Eles listam para várias cidades do mundo o gasto médio para hospedagem, alimentação, valores das entradas para as principais atrações, etc.”

Sem dívidas
Outra boa dica em se tratando de economizar: não saque dinheiro do cartão de crédito no Brasil e, principalmente, no exterior. Além dos juros altos, você nunca sabe quanto está realmente gastando, haja vista que quando a conta chegar à sua casa o valor cobrado será com relação ao câmbio do dia do fechamento da fatura. Se o Real se valorizar muito no período, você vai pagar mais do que esperava.
O melhor é voltar da viagem com boas histórias e lembranças e sem nenhuma dívida, pronto pra outra mochilada!

Vale dar uma lida também em:
– “5 pequenas atitudes para esticar o orçamento de viagem”
– Mochilando gastando pouco com hospedagem
– Mochilando sem gastar com hospedagem
– Economizando com transporte e locomoção
– Economizando com a alimentação durante a viagem

Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…