Blog

Os 10 mandamentos financeiros do mochileiro


Por aqui você sempre se depara com dicas para otimizar seu orçamento de viagem e, como já sabe, não existe uma “fórmula” para mochilar. Sabe também que neste tipo de viagem o que impera é o livre arbítrio portanto, neste post, seguem “10 mandamentos” que poderão servir de sugestões para ajudar um pouco nesta sua vida mochileira.

1- Controlarás seu orçamento

Uma viagem pode ficar terrivelmente mais cara se você não tomar certos cuidados. Reflita sobre seus hábitos de consumo (antes, durante e pós viagem).
Estabeleça um custo total para sua viagem e detalhe-o dia-a-dia para que no decorrer da jornada você não seja obrigado a antecipar a volta para casa.

 2- Fugirás das “modinhas”

Ok, mesmo que o local seja “para mochileiros” e esteja indicado nas bíblias backpackers que você encontra por aí, leve em conta que o restaurante, o bar e o hostel “da moda” têm o “custo da moda” embutido.
Os locais frequentados por moradores certamente terão pratos da gastronomia regional e talvez bebidas a preços bem mais convidativos, além do que podem proporcionar interação com gente dali (de quebra, dá pra pegar boas dicas do que fazer na cidade/vila/destino).
Fugir das “modinhas” antes da viagem, no seu dia-a-dia seguramente também ajudará na concretização de uma sonhada viagem. Pense nisso.

Foto: vittorio sciosia.

3- Gastarás com consciência

Você não precisa fazer voto de pobreza durante a viagem, mas a todo momento é importante pensar: “eu preciso MESMO disto?”.
Souveniers por exemplo. Se você estiver irredutível quanto a levar uma lembrancinha, analise os preços disponíveis em diferentes locais (lojas, feiras, rua) e não compre-os em aeroportos ou rodoviárias (geralmente são mais caros).
Cozinhar no camping ou na cozinha do hostel será prazeroso e ajudará na otimização do orçamento? Faça as compras (considerando o melhor custo/benefício de cada ingrediente) num supermercado local.

Foto: Frisno Boström.

4- Privilegiarás a comunidade local

Além do respeito aos moradores e à cultura do local visitado, privilegiar os negócios da comunidade é das coisas mais positivas (em termos econômicos) da viagem independente. Diferentemente dos pacotes formados pela grande agência, o mochileiro espalha o seu dinheiro por onde passa ajudando na economia local.
Então, siga escolhendo pequenos e médios operadores estabelecidos no destino, artesãos e guias autônomos locais, pequenos restaurantes etc.
Utilize também os “walking tours” (passeios a pé) locais. Muitos são gratuitos (aqui há mais de 80 deles mundo afora), mas considere (ou pergunte sobre) colaborar com algum dinheiro haja vista que aquele pode ser o ganha-pão do anfitrião/guia.

5- Pechincharás com respeito

Pechinchar é a palavra de ordem para qualquer mochileiro. Só não deixe a “mania” tirar você do limite do bom senso. Não desvalorize as coisas que tenham valor só porque você quer pagar menos por elas (se não dá, procure outra coisa – produto e ou serviço). Por isso “pechinchar é uma arte”.

6- Comprarás passagens aéreas em promoção ou com antecedência

Fique atento aos sites que trazem promoções de passagens aéreas e comparadores de preços como o Melhores Destinos, Voopter, Skyscanner, Momondo etc.

7- Planejarás sua hospedagem de acordo com seu orçamento e necessidades

A hospedagem toma boa parte de um orçamento de viagem. Sem uma pesquisa levando em conta seu custo/benefício, em algum momento você vai ter que fazer um remanejamento tirando dinheiro de um lado do orçamento para usar na hospedagem ou, ficará triste com a escolha que fez.
Leve em conta o custo do deslocamento que terá do local onde está hospedado para os principais pontos do destino e se há fácil acesso ao transporte público, por exemplo.
Se você acompanha esta página já deve ter visto por aqui várias opções de troca de trabalho por hospedagem (aqui, aqui e aqui), de redes de hospitalidade como o Couchsurfing e até de troca de estadia entre casas ou por uma boa conversa em determinado idioma.
Estas plataformas, além de ajudarem na economia durante a viagem são boas oportunidades para conhecer pessoas de diferentes partes do mundo e integrar-se à cultura local.
Mas se esse tipo de coisa não é “sua praia”, você não será menos mochileiro por isso e certamente encontrará opções econômicas para passar a noite. Um site totalmente seguro e dos mais utilizados por viajantes de todo o mundo, o Booking.com tem boas opções. Ao utilizá-lo use sempre o filtro “menor preço”.

Dormitório do “pior hostel do mundo”, o Hans Brinker Amsterdam. Leia sobre, aqui | Foto: Reprodução Facebook.

8- Avaliarás todas as opções de transporte disponíveis

Caminhar é sempre a melhor forma de se conhecer o local visitado, mas nem sempre só as pernadas dão conta do recado não é? Segunda opção? Transporte público. Sem falar na carona – a ser utilizada sempre que possível.
Avalie também se no local onde você está é viável utilizar serviços de transporte privado urbano, tipo o Uber.

9- Acompanharás o câmbio

Fique atento ao noticiário econômico sobretudo quando ele falar em “câmbio”. Assim fica mais fácil identificar quando é o melhor momento para comprar a moeda da qual precisará para sua próxima viagem.

10- Economizarás para suas próximas viagens

Aqui tem 6 dicas preciosas para você começar a fazer isso já!

⚠ Leia também:

20 dicas pra você organizar e economizar no mochilão (aqui)
Manual do mochileiro de primeira viagem (aqui). Com boas dicas também para viajantes experientes.

Fotos: sob licença Creative Commons.

Votar

20 pontos
Upvote Downvote

Total de Votos 26

Votos Positivos: 23

Upvotes percentage: 88.461538%

Votos Negativos: 3

Downvotes percentage: 11.538462%


Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…

Pular para a barra de ferramentas