Blog

Ele viajam de graça pelas ferrovias dos EUA e Canadá

Molly Steele tem 26 anos de idade, nasceu em Melrose na Flórida e já foi presa por viajar ilegalmente em um trem de carga.  As fotos de suas viagens são feitas com seu smartphone e compartilhadas no Instagram, onde já conta com mais de 60.000 seguidores.  Molly faz parte de uma nova geração de “Hobos”, andarilhos que viajam ilegalmente pelas ferrovias dos Estados Unidos e Canadá. 

prática conhecida como “Train-Hopping”, (Pulador de Trem em português)  já foi o principal meio de locomoção dos “Hobos”, andarilhos desempregados que rodavam os EUA em busca de trabalho.  Segundo um artigo escrito pelo professor Layal Shafee para o Jornal “The New York Telegraph” em 1911, o número de hobos chegou a ser estimado em 700.000 pessoas entre o final do século XIX e início do século XX. Entre elas muitos veteranos que retornavam para casa no fim da Guerra Civil Americana.  Também após a grande depressão de 1929,  ao menos 250.000 adolescentes viajaram ilegalmente pelas estradas de ferro do país. “Alguns saiam de casa porque se achavam um fardo para suas famílias; outros fugiram destroçados pela vergonha do desemprego e da pobreza. Outros viajavam por aventura. Com a bênção dos pais ou como fugitivos, eles pegavam a estrada em busca de uma vida melhor.”  É o que conta o livro “Riding the Rails: Teenagers on the Move During the Great Depression” de Errol Lincoln Uys.  

news1-3

Hoje a coisa é muito diferente, os hobos modernos não são miseráveis em busca de trabalho, não estão fugindo da miséria e da recessão. São jovens viajantes em busca de aventura, que postam suas fotos em redes sociais como Instagram e frequentam sites como squattheplanet.comhitchwiki.org e trustroots.org , nos quais trocam experiências e buscam companhia para novas viagens, não apenas nos EUA, mas em vários lugares do mundo onde há uma malha ferroviária extensa.    

news1-2

Entre os vários estilos de viajantes do mundo pós-internet, os hobos modernos talvez sejam os que mais se aproximem do desbunde da Geração Beat, mesmo que os livros de Walt Whitman tenham sido trocados pelos smartphones e que as curtidas no Instagram pareçam entorpecer mais que Efedrina. Ver que ainda há uma juventude interessada em transgredir, nem que seja o muro da linha férrea, já é algo que renova as esperanças em um mundo menos bunda mole.

travelettes_molly_steele_10

travelettes_molly_steele_2-600x450

3_Train-Hopping-Molly-Steele

 

 

11352438_890749084296295_1557207347_n

11137951_384781401709226_2011882058_n

11084830_1015051558523794_1931057554_n

 

142970762285952

 

A fotojornalista canadense Kitra Cahana falou sobre o assunto no Ted Talks. Quando era jovem, ela sonhava em fugir de casa para viver livremente na estrada. Agora, adulta e auto-proclamada andarilha, ela segue esses nômades modernos em suas casas: vagões cobertos, pontos de ônibus, estacionamentos, banheiros de parada de ônibus; dando um vislumbre nessa cultura viajante marginal. Confira:

Fotos: Molly Steele

Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…