Cultura Backpacker

Mochilar não tem idade…

Em maio deste ano, aos 95 anos de idade o australiano Keith Wright  partiu para um mochilão pela Europa. De acordo com a matéria feita com ele pelo jornal britânico The Telegraph, Wright fez sua primeira viagem ao estilo backpacker aos 85 anos de idade, cortando a Turquia de ônibus;  logo depois a jornada se deu no Leste Europeu, agora Espanha, Alemanha, Áustria e Grã-Bretanha entrarão para a vida do australiano. “Eu vejo coisas que a maioria dos turistas não conhece, pois fujo dos pontos turísticos e estou sempre tomando ônibus e trens para me locomover” conta. “ A maioria das pessoas que conheço se surpreende ao saber minha idade e perceber que eu venho de um lugar tão distante como a Austrália”.
É cada dia mais comum encontrar com pessoas de todas as idades na estrada e melhor, dividindo suas experiências! Pode ser de trem, de carro, de motor-home, de ônibus, de avião, carregando mala ou mochila, o que importa é viver o que de melhor uma viagem pode proporcionar.

Joyce prefere os destinos urbanos
Foto: Arquivo pessoal

Bem mais jovens que o senhor Wright, Joyce Banditelli, 53 e Marinete Araújo, 60 seguem viajando e dividindo suas experiências, incentivando outros viajantes (com mais ou menos idade que elas) a caírem no mundo. Elas dão boas dicas para todos na comunidade Mochileiros.com e por aqui foram perguntadas, entre outras coisas, se a idade as limita em algo durante suas viagens.

“Meu limite é de tempo, infelizmente ainda não posso viajar por 30 dias direto (ou mais dias), por isso todas as minhas viagens são curtas e às vezes em ‘deja vu’, pois como o tempo da anterior foi pouco, acabo por voltar aos lugares”, explica Joyce, que mora na Suécia, de onde parte para suas viagens sempre que o trabalho deixa.

Marinete já prepara mais um mochilão pela Europa, desta vez com a filha de 24 anos
Foto: Arquivo pessoal

Já Marinete, ou Dete, como gosta de ser chamada, pondera e conta uma experiência de solidariedade entre viajantes que serve de incentivo pra qualquer um: “aos sessenta não podemos esconder nossas limitações” e segue, “recordo-me que fui com um grupo de jovens para os Lençóis Maranhenses em época de dunas secas: se quiséssemos ver duna com água teríamos que andar muito. Um senhor da minha idade ficou logo no início porque tinha problema de coração. Eu continuei indo com o grupo, todavia chegou uma hora em que minhas pernas não aguentavam mais. Disse para o grupo: Eu vou ficar por aqui e vocês me pegam na volta! Parei e o grupo continuou. Fiquei olhando todos irem, inclusive minha filha que estava conosco. Quando chegaram bem distante, já no alto de uma duna eu vi todos me acenando mandando eu ir (Eles tinham encontrado a lagoa com água). O espírito de coleguismo, sem dúvida alguma contou muito naquele momento. E lá fui eu, sozinha, até receber aplausos da ‘meninada’ que ficou me esperando. Na volta um deles me apoiou e vim de braços dados e todos caminhavam nos meus passos. Ser mochileiro idoso não difere do entusiasmo de viajar, mas sem dúvida, encontramos obstáculos pela frente.”

Com relação à hospedagem, ambas ressaltam o fato de albergues (sobretudo na Europa) estabelecerem uma idade máxima para os hóspedes: “fico em campings ou em hotéis”, conta Joyce, que por muitas vezes viaja ao lado do esposo à bordo de um motor-home.

Anthony Bourdain, 56, em Machu Picchu / Foto: Divulgação

E já que o negócio é incentivar, quem não ficou louco para viajar assistindo a um dos programas do quase sessentão chef de cozinha e escritor Anthony Bourdain, 56, do “Sem Reservas” (No Reservations)? Sem nenhuma cômica  indumentária “Indiana Jones” e com muita informação o apresentador norte-americano viaja por todos os meios, para todos os cantos, experimentando tudo que há, ao melhor estilo viajante independente descolado.  Apesar de o Sem Reservas ser um programa de viagens e, gastronomia sobretudo,  a forma como seu conteúdo é apresentado (culinária-cultura) faz com que cada episódio seja um grande convite a viajar!
O programa é exibido no Travel & Living ou aqui.
Tem episódios também  no Youtube.

De pai pra filho, de filho pra pai

José Alves de Oliveira, 67 começou “no trekking” aos 66
Foto: Arquivo pessoal

Estamos sempre aprendendo (ou tentando aprender) na vida;  em certos momentos quase tudo que aprendemos vem de nossos pais; em outros muitos, acabamos por ensiná-los também; essa troca natural e maravilhosa também acontece no “mundo mochileiro”. Sim, para alguns pais um novo mundo.

É como aconteceu com o pai do viajante Renato de Oliveira Alves, 31, membro da comunidade Mochileiros.com. Renato conta que o pai sempre gostou do contato com a natureza, mas que quando jovem não tinha o perfil “aventureiro”. Precisou de um “empurrãozinho” do filho e aos 66 anos de idade seu José Alves de Oliveira, fez seu primeiro trekking. Hoje, já com 67 ele acompanhou o filho em mais duas caminhadas. A primeira experiência foi dividida com outros viajantes num relato no http://www.mochileiros.com/comecando-no-trekking-aos-66-t70485.html

Votar

0 ponto

Total de Votos 0

Votos Positivos: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Votos Negativos: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários do Facebook

comentários

18 Comments

18 Comments

  1. Rosana Cristina Rosa

    6 de setembro de 2015 at 13:42

    Bem gostaria que alguém lesse e me permitisse uma aventura juntos, tenho um sonho de viajar pelo Brasil, ou quem sabe exterior como mochileiros, prestando serviços aqui e ali e indo sempre em frente conhecendo pessoas, generosidade, amizades, se alguém também tem seus 50 anos e quer uma boa companhia , por favor me contate.

  2. Pingback: Companheirismo - Mochila Brasil

  3. Pingback: Cidade Baixa é opção para mochileiros de passagem por Porto Alegre - Mochila Brasil

  4. Eveline

    10 de dezembro de 2012 at 15:06

    Reportagem muito inspiradora!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…