Destinos

10 trilhas (fáceis) para fazer na Espanha

O jornal espanhol ‘El País’ fez um levantamento das trilhas mais fáceis do país. São rotas de dificuldade média e baixa, com percurso máximo de 22Km; boa pedida para quem vai mochilar por lá e está com pouco tempo.

As de dificuldade baixa

1 – Pinsapar de Grazalema – Distância: 11Km. Local: Cádiz.
O Abeto Espanhol (Abies pinsapo) é uma árvore nativa e proveniente das montanhas da região de Andaluzia. A espécie já desapareceu da Europa ocidental desde a última glaciação, mas áreas da região de Cádiz ainda conservam esta relíquia botânica. Desde 1977 Grazalema é Reserva da Biosfera, pela Unesco.
O itinerário começa na área recreativa da estrada CA-531, de Grazalema a Zahara de la Sierra e termina em Benhamahoma. Na paisagem, além do famoso ‘pinsapar’ (campo de pinsapos) belos povoados com traçado árabe.
Em algumas datas é preciso contratar guia e solicitar autorização para o percurso devido ao risco de incêndios.

Trecho de trilha nas províncias de Málaga e Cadiz. Uma das opções é  Grazalema | Foto: ANDARA RUTAS

Trecho de trilha nas províncias de Málaga e Cádiz. Uma das opções é Grazalema | Foto: ANDARA RUTAS

2 – Via Verde del Plazaola – 15,5Km. Local: Navarra.
O Plazaola era um trem à vapor inicialmente utilizado para transportar minério. Em 1914 passou a transportar passageiros, porém em 1958 encerrou definitivamente as atividades. Depois disso, os 90Km de vías e estruturas (pontes, túneis etc) caíram em ruína.
O trem unia Pamplona a San Sebastián através dos vales de Larraun e Leitzaran. Hoje parte do trajeto é conhecido como ‘via verde’. A trilha começa na velha estação de Lecumbrerri. Há pequenas trilhas marcadas com setas brancas e amarelas sendo boa oportunidade para conhecer os bosques do vale de Larraun.

Túnel de Ultzi no trecho Leitza-Lekunberri | Foto: Javi Sola

Túnel de Ultzi no trecho Leitza-Lekunberri | Foto: Javi Sola

3 – Cânion do Rio Lobos – 10Km. Local: Soria
O Rio Lobos ‘escavou’ o calcário até formar uma das mais belas paisagens de Castilla e León. A área tem pinheiros milenares, falésias e cavernas.
O caminho começa na capela de San Bartolomé permitindo recorrer o fundo do cânion, até a ponte dos Siete Ojos. Na paisagem florestas de zimbro, azinheira, pinheiro, lagos e piscinas de rio.

Trilha começa na capela | Foto: lospatosnoentiendendehielo

Trilha começa na capela | Foto: lospatosnoentiendendehielo

4 – Montserrat – 8,5Km. Local: Barcelona
Numa das montanhas mais emblemáticas da Catalunha, está o Mosteiro da Virgem de Monserrat, de onde é possível partir para conhecer algumas das várias opções de trilhas deste maciço, conhecido também como ‘Montanha dos 100 picos’.
A rede de trilhas de Montserrat é bastante extensa e uma das opções para começar a conhecer a montanha é subir até o topo da St. Jerome. A trilha parte do monastério.

Há várias trilhas na região  da Monserrat | Foto: Valéria Deda Perli

Há várias trilhas na região da Monserrat | Foto: Valéria Deda Perli

5 – Castelo de Monfragüe – 10,5km. Local: Cáceres
O parque natural de Monfragüe fica na província de Cáceres. Mais de 18.000 hectares do parque se estendem em um retângulo de cerca de 30km de comprimento, paralelo ao rio Tajo, entre o Salto del Gitano e Casas de Miravete. A ladeira norte da área, na serra das Corchuelas é quase toda declarada reserva integral, não
sendo permitida a visitação, mas uma porção bastante representativa dela permanece aberta sendo possível aos interessados conhecerem a autêntica selva mediterrânea.
Uma trilha circular parte de Villareal de San Carlos, cruza o Tajo e sobe para o castelo Monfragüe, onde há bela vista do parque.

Vista do Parque Montagüe e o rio Tajo | Foto: Victor Gómez

Vista do Parque Montagüe e o rio Tajo | Foto: Victor Gómez

As de dificuldade média

1 – Los mallos de Riglos – 22Km. Local: Huesca.
Às margens do rio Gallego e na confluência das províncias de Huesca e Zaragoza está um território de grande riqueza natural e impressionantes formações: montanhas em forma de charutos, os mallos. A trilha parte da vila de Riglos.

Formações também são procuradas por escaladores | Foto: José Manuel San Segundo

Formações também são procuradas por escaladores | Foto: José Manuel San Segundo

2 – Real Camino de La Mesa – 20,5Km. Local: León-Asturias.
Este pode ser um dos caminhos mais antigos de ligação entre o planalto e o litoral espanhol. Ele une o norte de León às cidades asturianas de Quirós e Teverga. O trecho mais espetacular deste caminho é o que vai da cidade de Torrestío, em León até o topo de San Lorenzo passando por campos e pastos na cordilheira Cantábrica.

Trecho do Camino real de la mesa em território asturiano | Foto: Rubén Marcos

Trecho do Real Camino de la mesa em território asturiano | Foto: Rubén Marcos

3- El Montgó – 7,4Km (a partir de Denia) ou 3Km (a partir de Les Planes). Local: Alicante
A formação Montgó surge como uma pedra solitária entre os campos de laranja que separam as cidades de Jávea e Denia. Está em um dos parques com mais rica flora na província de Alicante. São mais de 600 diferentes espécies.
Existem duas formas de se aproximar da montanha: a menor (3Km) é via Les Planes, na estrada que liga Jávea a Denia; e a maior (7,4Km) via Denia.

Ao fundo a montanha Montgó | Foto: Marjolaine

Ao fundo a montanha Montgó | Foto: Marjolaine

4 – El sendero Riojano – 22Km. Local: La Rioja
O GR93 (Gran Recorrido 93) tem ao todo 141Km, ligando o Atlântico ao Mediterrâneo, apresentando clima e paisagens tipicas destes dois ‘ambientes’.
O caminho vai desvendando a tranquila vida rural da La Rioja, seus vales e o rio Oja, que dá nome a comunidade.
É possível percorrer o caminho todo ou por trechos. Um dos mais recomendados é o que começa no mosteiro de Yuso, no sopé da Sierra de la Demanda. Ele segue por cerca de 6 horas de caminhada, terminando em Anguiano.
O mosteiro Yusho e outro nas proximidades de Suso, são considerados o berço do castelhano, pois ali, no século X teriam sido escritos os primeiros textos em navarro-aragonês, riojana, basco, latim etc (as Glosas Emilianenses).

Monastério de Yuso em San Millan de la Cogolla, La Rioja | Foto: Javier

Monastério de Yuso em San Millan de la Cogolla, La Rioja | Foto: Javier

5- Chorros del río Mundo – 16Km. Local: Albacete
Na Sierra del Segura está uma das fontes de água mais espetaculares da Espanha, o Rio Mundo. Depois de percorrer mais de 42Km de redes labirínticas, galerias, salas e numerosos lagos subterrâneos o rio vê a luz do sol quando sai da de uma cova rumo ao vazio, formando um incrível salto de 82m de altura.
A partir da área recreativa da base da cascata há uma trilha que leva até o pico Argel, caminho no qual é possível conhecer uma genuína paisagem cárstica, com impressionantes formações realizadas pela natureza (corrosão) no calcário.

Cascata formada pelo Rio Mundo | Foto: Miguel Angel Sanchez Guerrero

Cascata formada pelo Rio Mundo | Foto: Miguel Ángel Sánchez-Guerrero

Com informações de El país.
Fotos: crédito nas legendas. (A imagem que abre a matéria é de Miguel Grannel)

Comentários do Facebook

comentários

1 Comment

1 Comment

  1. Andre

    8 de novembro de 2013 at 10:04

    Nas região de los Pirineos, recomendo três trilhas relativamente fáceis: a trilha do Ibon de Plan (Plan), a Colla del Caballo (PN Ordessa y Monte Perdido / Torla) e Forau d’Aigualluts (Benasque)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…