Brasil

Bento Gonçalves

Se de médico e louco todo mundo tem um pouco, como diz o ditado, todo mochileiro tem lá seu lado ‘bon vivant’ e em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha ele aflora num abuso dos sentidos: olhos atentos à beleza do Vale dos Vinhedos, o som da “Tarantela” e do sotaque característico, o cumprimento mais forte e o sabor do todo.
O pórtico em forma de pipa (barril de vinho), revela o turista perguntando sobre uma “bela” massa, mas com preços razoáveis, mais adiante o agito da “gurizada” na principal avenida da cidade, a Herny Dreher, em frente a catedral em formato de…pipa. Recepção calorosa vinda da rica mistura Brasil-Itália.

Vista da igreja de Monte Belo do Sul no Pôr-do-Sol no Vale dos Vinhedos - Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Vista da igreja de Monte Belo do Sul no Pôr-do-Sol no Vale dos Vinhedos – Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Atrações

Para conhecer um pouco da região, com um pé no passado, é possível fazer um passeio de Maria Fumaça (percorre caminhos entre Bento, Garibaldi e Carlos Barbosa) e visitar o “Caminhos de pedra”, trecho de arquitetura preservada com casas de pedra, madeira, moinhos e cantinas erguidos no início do século pelos imigrantes italianos.

Já a visitação às vinícolas é um misto do antigo e do novo (do plantio e cultivo das uvas ao moderno processo de produção dos melhores vinhos nacionais).
Para quem quer um pouco de adrenalina, o rafting no Rio das Antas (http://www.riodasantas.com/ ) é uma opção.

Construção colonial italiana de 1880 no roteiro “Caminhos de pedra” – Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Caminhos de pedra

O roteiro dos Caminhos de Pedra oferece uma viagem ao tempo da colonização Italiana no Brasil. Em vários pontos do passeio o viajante entrará em contato com a arquitetura em casas muito bem conservadas deste período. De todo o roteiro, merecem destaque:
Casa Merlo
Construída em 1889, com pedras irregulares pretas, unidas com uma mistura de feno, palha de trigo e estrume de vaca. Conta com o chamado “granaro”, que servia de isolante térmico no inverno. Visitação externa.
Casa Zandoná – (casa rosa rebocada)
Por volta de 1960, com a urbanização, os agricultores começam a ter vergonha das casas de pedra e passam a revesti-las de argamassa.
Casa da família Bartarello
 construída por volta de 1877, foi restaurada em 94. Hoje abriga restaurante colonial italiano.
Capitel
oratório construído em 1947 em honra a Nossa Senhora do Carmo. Tradição rural do Vêneto (Itália).
Cantina Strapazzon
construída por volta de 1880, serviu de cenário para o filme “O Quatrilho”.
Árvore “Maria mola” ou “Umbu”
 tornou-se símbolo da primeira residência dos imigrantes que provisoriamente se abrigavam debaixo de grandes árvores, às vezes até fazendo escavações sob as raízes para terem sua moradia.
Destilaria de Whisky
Baseada na arquitetura do castelo de Conegliano, da região do Vêneto, construído em 1963, abriga a Destilaria de Malt Whisky, pioneira na América Latina na produção de malte. Exporta para Europa e América Latina. Visitação externa.
Confira todos os atrativos do roteiro dos Caminhos de Pedra no site: http://www.caminhosdepedra.org.br

Vale dos Vinhedos – Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Vale dos Vinhedos

Fica entre os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. No vale há mais de 20 vinícolas, nas quais o visitante pode acompanhar a elaboração do vinho e em algumas, degustá-lo.
No centro de Bento Gonçalves, está a vinícola Aurora que foi a pioneira em trabalhar o turismo. A Aurora é a maior produtora de vinhos do país, exportando de EUA a Arábia Saudita.
Numa visita pela vinícola é possível conhecer um pouco sobre sua história e sobre o processo de elaboração de vinhos, espumantes (champagne), brandies (conhaque) etc. Ao final: degustação e claro demonstrativos para compra! Fica na Rua Olavo Bilac, 500 – Cidade Alta. Tel: 0800-701-4555. Site: www.vinicolaaurora.com.br

Mais informações sobre o Vale dos Vinhedos você encontra no site: http://www.valedosvinhedos.com.br

Museu do Imigrante

Abriga mais de 1500 peças que mostram um pouco da cultura dos imigrantes. Rua Herny Hugo Dreher, 127 – Planalto.

Onde ficar

A cidade tem boas opções de hospedagem, a maioria administradas pelos proprietários, como numa extensão de suas casas.
Pousadas em Bento Gonçalves podem ser vistas em http://www.superpousadas.com/bento-goncalves-pousadas.shtml e as opções de albergues em http://www.superpousadas.com/pousadastoantoniobg.shtml e http://www.pousadacasamia.com.br/

Tonéis de carvalho onde os vinhos são envelhecidos – Foto: Silnei L Andrade / Mochila Brasil

Onde comer

Restaurante Canta Maria – Fica na entrada da cidade, oferece pratos típicos italianos. Site: http://www.cantamaria.com.br/
Restaurante Fornasier – No alto de uma montanha (também é pousada), proporciona bela vista de um vale. Fica na Estrada para Pinto Bandeira. Cardápio italiano colonial. Site: http://www.casafornasier.com.br/restaurante/
Magnatas do X – Lanches ou PFs no centro da cidade ou no bairro Botafogo. Há outras unidades servindo apenas lanches. É o típico “mata fome gasta pouco”. Tel.: (54) 3451-2711. Restaurante Lancheria Portuguesa – ambiente simples. Rua Belo Horizonte, s/n – Botafogo. Tel.: (54) 3453-2425.

Como chegar

A cidade base para chegada à Bento Gonçalves é Caxias do Sul.
De ônibus
De Caxias é possível tomar um ônibus para Bento pela Viação Ozelame. Horários e preços em www.rodoviariacaxias.com.br
De carro/moto/bicicleta
Bento Gonçalves fica a 111km da capital gaúcha. Acesso pelas rodovias BR-116 e RS-470.

Fotos:

Votar

0 ponto

Total de Votos 0

Votos Positivos: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Votos Negativos: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…