América do Sul

15 coisas para NÃO fazer em uma viagem a Machu Picchu, segundo os viajantes

Nós publicamos um pequeno texto com ‘8 coisas para não fazer em Machu Picchu’ e evidentemente, tanto textos falando sobre o que fazer e o que não fazer são bastante relativos e podem estar sempre em construção. No post de hoje, contamos com a colaboração dos viajantes (por isso o título) que deram suas dicas, informações e opiniões aqui no site, na fanpage do Mochileiros.com e no grupo Mochileiros (do Mochileiros.com/Mochila Brasil) no Facebook.

Foto: Rocco Lucia.

Foto: Rocco Lucia.

Então informe-se, prepare a mochila e…

1) Não vá super cedo pra lá (parque). “Se a intenção não for fazer a trilha, mas sim visitar o local [ruínas] com um guia e registrar a bela paisagem, o melhor é esperar até o dia clarear direito, afinal, a névoa atrapalha bastante!” – Juliane Pereira. Fernanda Fukumoto concorda com Juliane, principalmente no inverno.
Como mencionei na abertura do post, o ‘fazer ou não fazer’ pode ser relativo. A viajante Ruth Peralta Vásquez tem opinião diferente da da Juliane. “Eu discordo….é bem melhor ir bem cedo. Dá para aproveitar muito. E dependendo da época do ano em que se vá, se é em dezembro pode ser que tenha nevoa e chuva, agora se for em junho, julho o sol aparece bem cedinho.”

Os amanheceres em Machu Picchu (como em qualquer outro lugar) podem desvendar belos raios de sol, mas você também pode pegar um dia assim | Foto: Ville Miettinen.

Os amanheceres em Machu Picchu (como em qualquer outro lugar) podem desvendar belos raios de sol, mas você também pode pegar um dia assim | Foto: Ville Miettinen.

2) Não faça o tour de ônibus dentro da cidade de Cusco. “Não vale a pena. Te colocam [no ônibus] e ficam rodando com você por horas na mesma quadra até encherem todos os lugares. Só depois começam [o passeio] que é muito curto e rápido. Te toma uma tarde inteira. É furada!”, alerta Hugo Leonardo Soares Bento.

3) Não suba as escadas se você tem problema no joelho ou pernas. “Parece óbvio, mas uma menina do nosso grupo não pensou nisso e ficou mal depois…”, enfatiza Juliana Moyses.

Trecho na montanha Huayna Picchu | Foto: Nelson Alvarez.

Trecho na montanha Huayna Picchu | Foto: Nelson Alvarez.

4) “Não vá de calças jeans, como eu” – risos. Dica da viajante Delice Paixão que fez tudo a pé e ficou bastante desconfortável, segundo relata.

5) Não encare a subida a Huayna Picchu se estiver cansado e ou passando mal. “A subida não é tranquila e exige preparo físico”, opina Luciana Amaral.

6) Não opte em conhecer uma caverna como caminho alternativo de volta à Machu Picchu depois de ter subido Huayna Picchu. Dica do viajante Leoberto Gerber Junior. “[Fazendo isso] você praticamente volta a altura de Aguas Calientes e tem de subir tudo novamente. No meu caso, após 5 dias caminhando [pela trilha] Salkantay e escadas de Machu Picchu foi o fim da picada”, relata.

7) Não faça o trajeto de Aguas Calientes até Machu Picchu à pé SE VOCÊ FOR SEDENTÁRIO(A). “Poupe suas energias pra gastar no parque e para subir Huyana Picchu ou a Machu Picchu montanha”, frisou Leandro Freschi.

Há muito para percorrer e em vários sítios arqueológicos | Foto: Diego Cambiaso.

Há muito para percorrer e em vários sítios arqueológicos | Foto: Diego Cambiaso.

8) Não deixe para comprar água e comida em Machu Picchu [ruínas/parque] se estiver com a grana meio curta. “Acabei tendo que voltar mais cedo do que gostaria porque não tinha mais grana pra comprar água… triste”, alerta Bárbara Borges. “Água lá vale outro, absurdamente cara!”, concordou Daniela Lopes.
Lembrando que não é permitido  comer nas ruínas, mas a fiscalização é um pouco deficitária. Não é preciso nem falar para você levar de volta com você, qualquer lixo que produzir. Alguns viajantes relataram que já viram lixo produzido por visitantes no meio das ruínas. Lamentável.

9) Não coma perto das Lhamas. “Elas estão ligadas no barulho da embalagem e vem pra cima mesmo” – risos. Observação também da Bárbara Borges.

10) Não deixe de estar atento às cédulas que recebe das casas de câmbio locais. “Eles costumam passar notas danificadas e [por lá] não aceitam notas em mau estado”, conta Sandra Fernandes.

11) Não vá de Van de Cusco para Aguas Calientes, prefira o trem. A opinião é de Júlia Capdeville que explica o porquê de pensar assim: “Além da estrada para subir e descer as montanhas ser super sinuosa e você ficar mudando de altitude drasticamente em pouco tempo – o que deixa seu estômago uma bagunça e o Soroche intenso; quando chega no caminho de terra que leva até a hidrelétrica, você passa o caminho todo achando que vai morrer. As curvas são bem acentuadas em torno das montanhas, acontecendo várias vezes de à beira de um abismo você dar de cara com outra vanzinha. Eu achei a experiência traumática, preferia mil vezes ter ido de trem. a falta de planejamento que me proporcionou essa loucura.”
Outros viajantes disseram ter gostado da ‘aventura’ (Mais uma vez, relativo).

Foto: Mark Rowland.

Foto: Mark Rowland.

12) Não compre no Brasil pacotes para Machu Picchu. De acordo com Maíra Rodrigues eles são muito mais caros. “Em Cusco paga-se barato pela trilha. Também não compre no aeroporto. Quando desembarcamos, várias pessoas ofereceram pacotes e hospedagem… Acaba que você vai para trilha com um grupo que pagou bem menos que você, porque essas pessoas compraram o pacote na cidade”, conta.

13) Não faça muito esforço no primeiro dia em Cusco. Subir ladeiras com rapidez por exemplo, podem contribuir para o mal da altitude. “O ideal é se aclimatar por 1 ou 2 dias antes de fazer passeios mais pesados”, comentou Monica Barros, viajante e uma das autoras do blog Le Touriste.

14) Não se escore nas pedras para tirar fotos ‘descoladas’. Você pode “descer escoltado pelos guardinhas de Machu Picchu”, comenta Danielle Braga.
(Eu acho que isso deveria valer para qualquer tipo de monumento! #souchata)

15) Não faça a trilha de Aguas Calientes para Putukusi na véspera de ir para Machu Picchu. “Você vê Machu Picchu de outro ângulo, vê Aguas Calientes de cima, mas vai ficar 2 dias sem conseguir andar direito. É só subida, várias escadas tipo marinheiro”, sugere Caroline Strutzel Striani.

Placa em trecho da Trilha Salkantay | Foto: Megan Hess.

Placa em trecho da Trilha Salkantay | Foto: Megan Hess.

NOTA: Este é o primeiro ‘Post colaborativo’ publicado no Mochila Brasil e está em construção.
Talvez este não seja o formato definitivo que pretendemos adotar nesse tipo de publicação e contamos com suas sugestões. Você pode deixá-las no campo de comentários ou enviá-las para o e-mail redacao@mochilabrasil.com.br.
Se você tem dicas sobre o que ‘não fazer’ em Machu Picchu (ou numa viagem pra lá), pode deixar no campo de comentários do post. Nós e outros viajantes, agradecemos 🙂

Sobre optarmos por falar do que “não fazer” em Machu Picchu, foi pela simples tentativa de tentar um post diferente. Como já comentamos no post anterior, por se tratar do mais popular destino do Peru, talvez da América do Sul, você encontrará muitas outras informações, dicas do que fazer e relatos sobre viagens por Machu Picchu por toda web.
O Mochileiros.com por exemplo, tem inúmeros relatos de viajantes que foram pra lá e um fórum completaço sobre (confira aqui). No Mochileiros.com você também pode utilizar o campo de buscas, além dos links inseridos aqui e fazer pesquisas mais específicas de acordo com o que você procura saber como Trilha Inca, Salkantay, Cusco, Valle Sagrado etc.

OBS: Ajudar os demais é sempre algo bom, mas se seu nome foi citado aqui e você não queira tê-lo publicado, por favor envie e-mail para redacao@mochilabrasil.com.br solicitando a retirada do mesmo.

Votar

0 ponto

Total de Votos 0

Votos Positivos: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Votos Negativos: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários do Facebook

comentários

5 Comments

5 Comments

  1. Pingback: 8 coisas para não fazer em Machu Picchu - Mochila Brasil

  2. Cassio Kenji

    22 de julho de 2015 at 11:38

    Vou em dezembro para Bolivia/Peru, você recomenda então comprar o pacote para machu picchu lá ? Não é arriscado venderem todas entradas? abs

  3. Marcela

    15 de julho de 2015 at 18:17

    Puts… tô ferrada! Fechamos todos os passeios do Brasil e ainda vamos fazer city tour…. espero que seja diferente do que li aqui. Vou descobrir amanhã!

  4. Gilmar Ximenes

    15 de julho de 2015 at 7:07

    Vale a pena ir ao parque (M.Picchu) dois dias. Tem muito o que se ver alem da cidadela. Tipo ponte inca. Portal da trilha inca. É maravilhoso ficar sentado apreciando o visual.

  5. Fernanda

    14 de julho de 2015 at 22:20

    Sobre o citytour por Cusco, o que eu fiz foi muito satisfatório. Ele só saiu depois que o ônibus estava cheio (o que levou uns 15 minutos pra encher), não pegou ninguém no caminho. Durou 3h e fomos pra muitos lugares com tudo sendo explicado em espanhol e inglês. Como pegamos o último ônibus, conseguimos fotos maravilhosas do por do sol, e Cusco com as luzes acesas. Eu aconselho a fazerem. Não lembro o nome da empresa, mas o ônibus era amarelo e pagamos 15 soles por pessoa.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…