Notícias

Mochileiro argentino é roubado, detido e desaparece no Peru

O viajante portenho, Bruno Carlos Schell, 26 foi ao Peru em março e desde junho não deu mais notícias para família ou amigos.
Bruno viajou na companhia de alguns amigos e chegou ao bairro Miraflores, em Lima, no dia 14 de março logo depois de viajar pela Bolívia.

Nas imagens, Bruno que tem 26 anos e 1,90m de altura | Foto: Reprodução.

Nas imagens, Bruno que tem 26 anos e 1,90m de altura | Foto: Reprodução.

Em Nazca, já sem companhia, teve dinheiro, cartão de crédito e documentos roubados. Em 1 de junho, ele escreveu para a mãe, Julia Verdaguer, pedindo uma transferência bancária. O dinheiro nunca foi retirado e este foi seu último contato.
“Tudo é encoberto e mentiroso”, reclama a mãe em reportagem publicada no jornal argentino El Patagonico. Ela conta que a polícia que patrulha as ruas de Miraflores deteve Bruno em pelo menos quatro oportunidades, por desordem pública. O rapaz sofre de esquizofrenia, mas de acordo com a mãe, se medicado, não apresenta crises.
Segundo Julia, somente uma detenção ficou gravada, a da noite de 29 de maio, quando Bruno estava sentado em frente a um supermercado. As imagens mostram que o jovem foi levado sem oferecer resistência.
Em 1 de junho, Bruno foi novamente detido. Uma testemunha disse tê-lo visto 48 horas depois, ensanguentado e desorientado.
Ainda de acordo com a mãe, no dia 4 de junho as autoridades peruanas levaram o argentino num carro da polícia na praia La Estrella, em Miraflores e o deixaram à deriva na praia La Herradura, em Chorrillos, um bairro limítrofe de Miraflores, perto do cerro ‘El Salto del Fraile’, a metros do mar.
A família de Bruno teme que ele tenha sido assassinado e lançado ao mar. De acordo com a mãe a polícia teria medo de que o viajante contasse sobre os abusos que poderia ter sofrido anteriormente.
Em 12 de junho a família abriu uma denúncia na División de Personas Desaparecidas (Divisão de Pessoas Desaparecidas). Por enquanto não obtiveram êxito. A mãe conta que as autoridades locais se mostraram surpresas com a história e com os cartazes com as fotos e informações sobre o desaparecimento de Bruno dizendo “não saberem de nada”.
Para ajudar nas buscas, a família criou uma página no Facebook “Buscamos a Bruno Carlos Schell”: https://www.facebook.com/busca.bruno
Se você estiver em viagem ao Peru ou tem amigos por lá, ajude a espalhar.

No dia 6 de dezembro a família pretende fazer uma vigília por Bruno Schell, em Miraflores, Lima.

Foto: Reprodução.

Foto: Reprodução.

Fotos: Divulgação.

Comentários do Facebook

comentários

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top

E aí, tudo bem? Bora logar!

ou

Entrar

Esqueceu a senha?

Ainda não tem uma conta? Cadastro

Fechar
de

Enviando Arquivo…